Início Sobre contato anuncie recomendo

Curso para blogueiros (parte 2 de 4)


Um bom blogueiro é dedicado e produz conteúdo de qualidade. / Foto: Freepik

Nessa publicação AQUI eu divulguei o primeiro texto que fiz sobre o curso para blogueiros promovido pelo Centro Universitário Belas Artes em parceria com a F*Hits, plataforma de digital influencers que inclui 27 blogs com mais de 9 milhões de visitas e 30 milhões de visualizações de páginas. O primeiro texto abordou um pouco de conteúdo e design. Na postagem de hoje vou falar sobre como definir o foco do blog, importância das imagens e apoio do Instagram. Decidi colocar as dicas em tópicos para não fica cansativo. Espero que vocês gostem. Aguardo as opiniões nos comentários. Vamos lá:

- A linha editorial, que é o foco de atuação do blogueiro, reflete sua postura diante do universo sobre o qual deseja falar. Se você criar um blog sobre maquiagem, mas não apresentar domínio sobre o assunto, será visto como um péssimo blogueiro de maquiagem. Logo, fale sobre o que você gosta e conhece. 

- Ter um foco coerente com a sua imagem e realidade vai gerar afinidade com o seu leitor.

- A concorrência no ambiente digital é tão intensa quanto no mundo presencial. Portanto, a criatividade precisa entrar em ação para que você crie seu blog com diferencial competitivo.

- Todo conteúdo é produzido para ser consumido. Se as pessoas não consomem o seu conteúdo, existe algum problema. Avalie onde você está errando.

- O que você gosta de fazer e quais são as suas habilidades? É hora de criar a sua biografia no mundo dos blogs. Lance a sua imagem. É por meio do compartilhamento dessa imagem que seu leitor se transformará em propagador de suas ideias, das ideias do seu blog, garantindo assim a sobrevivência dos seus pensamentos através do tempo e do espaço. Esse movimento fortalece a sua imagem na sociedade digital. 

- Se "blogar" é uma atividade voltada à socialização, então crie sua imagem marcando presença em outros blogs, em grupos no WhatsApp, em comentários no Twitter, em fotos no Instagram e em vídeos no YouTube. Vá em frente, blogueiro!

- Uma boa forma de você ganhar território nos meios digitais e fortalecer sua autoimagem é comentar com propriedade as atividades dos outros.

- Evite o uso de frases de efeito e busque adicionar valor ao que está exibido nas páginas que você segue incluindo informações novas.

- Não peça para ser seguido! Isso acontecerá à medida que seus comentários despertarem interesse nos demais internautas.

- Acrescente um link do seu blog para todas as suas contas em mídias sociais. Todos os blogueiros famosos fazem isso.

- Se você tiver 500 amigos no Facebook, outros 500 seguidores no Instagram e mais 200 fãs no Pinterest, é exatamente nessas redes sociais que você pode começar a recrutar leitores.

- No momento que você estabelecer uma comunidade em torno do seu blog, você estará pronto para medir resultados e monetizar o conteúdo produzido por você.

- Capriche nas fotos das postagens. As imagens são importantes para cativar os leitores.

- Use o Instagram a ser favor. Essa rede social é muito dinâmica e capaz de conquistar pessoas de vários cantos do país. Poste fotos bonitas e sempre coloque o link do seu blog. 

- Não reproduza conteúdo preconceituoso e ofensivo nas suas redes sociais. Isso pode prejudicar a imagem do seu blog e a sua imagem como blogueiro. 

É isso! Espero que você aproveite as dicas para melhorar o seu blog. Nas próximas semanas eu farei outras 2 postagens com mais dicas do curso. Então fique de olho no Blog da Hida :)


Continue Lendo

Morando em uma Kombi


É possível morar e viajar numa Kombi? A Karine Kerr, 31, e o Micael Salton, 27, provam que sim. Após comprar e personalizar uma Kombi, no dia 3 de novembro o casal decidiu colocar a "casa na estrada" para conhecer e visitar novos lugares do Brasil. E se engana quem pensa que a dupla usa o veículo apenas como meio de transporte. Além de automóvel, a Kombi é a residência da Karine e do Micael. 

"Compramos a Kombi não tem nem dois meses, em Florianópolis. Passamos um mês arrumando ela, fazendo os documentos, costurando as cortinas, fazendo o colchão. Queremos saber como vivem as pessoas que já conseguiram sair da rotina casa-faculdade-diploma-trabalho-família-morte, como lidam com as dificuldades, o que fazem para ficar longe. E, principalmente, como vivem aquelas pessoas que nunca estiveram dentro desse sistema ou que nem sabem que ele existe porque suas vidas são tão simples que não importa", conta Karine ao explicar que ela e o Micael decidiram aderir ao nomadismo, prática de pessoas que vivem permanentemente mudando de lugar.


Chamado de Alternativa, o projeto da dupla incentiva redução do consumo, novas descobertas e autoconhecimento. "Um dos nossos objetivos é viver com menos, não acumular. É viver a vida e não só passar por ela. Economizamos sempre que possível e vamos aprendendo no caminho. Sempre preferimos utilizar meios de troca de hospedagem, que além de proporcionarem uma economia também nos permitem conhecer outras pessoas e locais. Também sempre carregamos barraca e equipamentos para camping e já acampamos em lugares tão diferentes como praia deserta e a rodoviária de uma cidade pequena na Bolívia", relembra Karine.

Para bancar as despesas do dia a dia, os jovens investem em trabalhos temporários, atividades manuais e, sempre que possível, reutilizam objetos e acessórios. "Nós temos quase tudo dentro da Kombi. Já temos colchão, fogão, panelas, um isopor que serve como geladeira e ferramentas básicas para arrumar coisas mais simples na Kombi. Ela já está pronta para nos abrigar e servir como casa. Estamos tentando fazer o máximo possível de coisas nós mesmos, buscando alternativas para os equipamentos mais caros. A cama, por exemplo, nós compramos uma espuma em uma loja especializada, compramos tecido, conseguimos uma máquina de costura emprestada e eu mesma fiz a capa para o colchão. Na hora de dormir, abaixamos o banco traseiro, empilhamos alguns caixotes desses de feira e a cama está montada!", diz Karine.


Ainda de acordo com ela, a maioria das pessoas acha a rotina da dupla diferente, curiosa e fica com dúvidas. "As primeiras perguntas sempre são sobre como nos mantemos, se somos formados em alguma coisa e o que nossas famílias pensam disso. Quando explicamos como é nossa vida, normalmente eles entendem e acabam dizendo que também fariam isso, mas as imposições da vida não lhe permitem", afirma a jovem.

Muito mais do que descoberta de novos lugares, o Alternativa levou crescimento, empatia e estratégia de vida para a Karine e para o Micael. "É impossível fazer uma lista das coisas que aprendemos nesse tempo. Nós crescemos muito como pessoas, aprendemos a ser mais humanos. Aprendemos também muitas técnicas de como conseguir carona, comida, trabalho, aprendemos a cozinhar e apreciar comidas de vários lugares, aprendemos sobre a arte e a história dos lugares que visitamos. Aprendemos também que existe muito mais gente boa no mundo do que a gente normalmente pensa. Ainda existe amor e gentileza por aí", finaliza Karine.

Para acompanhar as aventuras e conhecer mais sobre o projeto Alternativa, é só clicar AQUI e seguir a página no Facebook, curtir no Instagram @projetoalternativa e ler o Blog Projeto Alternativa.

Fotos: Arquivo pessoal/Karine Kerr
Continue Lendo

Equipe fera

Quando Brad Pitt foi dar uma “voltinha” no Centro de Campinas, o sucesso foi geral. Adultos e crianças queriam acariciá-lo e fazer selfies. Mas Brad não estava sozinho e o passeio contou com a presença de dois colegas: Jamal e Klaus. Loiro e simpático, Jamal também  arrancou elogios da população. Com cara de bravo, Klaus preferiu não se enturmar com o povo. “Funcionários” da GM (Guarda Municipal), os três integram o grupo dos 10 cães da guarda que atuam em ocorrências de apreensão de drogas e armas, proteção de pessoas e contenção de distúrbios.


O canil do Baep em Campinas tem 20 cães/ Foto: Denny Cesare/ Código 19
E se engana quem pensa que a rotina do trio é composta apenas por passeios, sombra e água fresca. No dia a dia os animais têm agenda cheia de treinamentos, condicionamento físico e ações do trabalho. Para se ter uma ideia de como eles não brincam em serviço, no mês de agosto Jamal foi protagonista em uma ocorrência envolvendo o tráfico de entorpecentes em um condomínio popular no bairro Santa Clara, em Campinas.

“Chegamos ao local após denúncia de que lá havia droga. Tudo estava bem escondido, então nós guardas não conseguíamos localizar. Mas ele entrou em ação, farejou e localizou 1,3 mil porções de crack, maconha, cocaína e lança perfume”, conta a guarda municipal Ellen Tatiane Garcia Barbosa, 39, que tem 15 anos de GM e trabalha com o apoio do canil desde 2014. 

GMs  e os cães Brad, Jamal e Klaus (da esquerda para direita)/ Foto: Denny Cesare/ Código 19

De acordo com Ellen, o auxílio dos animais durante o trabalho de Segurança Pública é essencial. “Eles são os nossos companheiros e sabemos que eles sempre estarão à disposição para ajudar, salvar e proteger”, destaca.

Companheiro de farda de Ellen, Inácio Biazzi, 46, trabalha há 14 anos na GM e, destes, 12 foram dedicados ao canil. “Campinas foi a primeira cidade da região a ter uma guarda municipal equipada com canil. Fomos desenvolvendo as nossas técnicas aos poucos e hoje temos suporte em várias ocorrências”, conta Biazzi.

E se a “tropa animal” é eficaz para o trabalho da GM, na PM (Polícia Militar) a situação não é diferente. Atualmente, o Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) conta com cães e cavalos que atuam em patrulhamentos de rotina e ocorrências especiais.

No setor de cavalaria, por exemplo, os policiais acreditam que os animais transmitem mais humanidade no contato com a população. “As crianças param, querem tirar fotos e fazem perguntas. O cavalo também é importante para conter distúrbios. Ele tem efeito mais intimidador do que uma arma de fogo. As pessoas respeitam”, conta o cabo Omar Fernando dos Santos, que há 10 anos trabalha com cavalos.

Sargento Donizeti  e cabo Omar em patrulhamento com cavalos / Foto: Denny Cesare/ Código 19

Já na área de focinhos e quatro patinhas do Baep, a ajuda dos cachorros também é crucial. “São animais que dão suporte para Campinas e região em casos de resgates, busca de armas, apreensões de drogas. Eles são parceiros do policial. É uma relação de companheirismo e amizade. Não é qualquer pessoa que lida com cães. Tem que ser um policial diferenciado”, conta o capitão Luis Augusto Satto. 

Cabo Matias durante orientação com cão / Foto: Denny Cesare/Código 19

Cabo Cesetti realiza treinamento em animais / Foto: Denny Cesare/ Código 19

Continue Lendo

Adote uma caneca

Você já parou para pensar quantos copos plásticos consome diariamente? Quem trabalha fora e não tem o hábito de usar caneca ou garrafinha deve utilizar no minimo três copos por dia, o que totaliza 720 unidades por ano. E cada copo jogado no lixo leva até 200 anos para se decompor na natureza.

Praticar o consumo consciente é fundamental para ter uma vida saudável e por isso hoje quero falar sobre a campanha ADOTE UMA CANECA. O projeto consiste na ideia de que cada pessoa passe a usar uma caneca ou garrafinha no local de trabalho, escola e até mesmo em casa; reduzindo assim a quantidade de copos plásticos descartados no meio ambiente. 

Segundo Gilsy Castro, designer e proprietária da Canecria, loja virtual especializada em canecas criativas, "todo cidadão é responsável pelo desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente" e por isso "a mudança de pensamento e ação deve acontecer com as novas experiências que tivermos no âmbito profissional e pessoal". Para isso, recomenda Gilcy, é necessário que "cada um de nós substitua o copo descartável por uma caneca".

E é possível unir consciência ecológica com estilo e criatividade. O Blog da Hida vasculhou o site da Canecria e encontrou modelos de canecas que deixam qualquer um BA-BAN-DO. As fotos abaixo possuem link direto para você checar os valores de cada produto. Vale a pena visitar o site e conhecer os modelos de canecas da Canecria. A marca também está no Instagram @canecria.






MAIS SOBRE O MEIO AMBIENTE: Clique AQUI e leia um texto que o Blog da Hida fez sobre a importância de substituir a sacola plástica por uma bolsa reutilizável.
Continue Lendo

Mais gentileza, por favor


Criadores do projeto Doe Sentimentos / Foto: Divulgação

O que você faria caso fosse abordado na rua e recebesse um coração com uma mensagem carinhosa? Se a sua resposta for "daria um sorriso", adivinhou a proposta do Doe Sentimentos, projeto que existe desde 2012 e tem o objetivo de levar gentileza para o cotidiano das pessoas por intermédio de bilhetes em formatos de coração.

Criado pelo trio Renata Stort, Ana Carol Thomé e Carlos Alberto, o Doe Sentimentos já percorreu 45 cidades do Brasil distribuindo mensagens gentis. De acordo com os criadores da ação, a ideia central é fazer com que as pessoas conheçam a importância da gentileza e compreendam como um gesto educado e amável pode melhorar a convivência.

O coração foi escolhido como símbolo do projeto porque quem vê um coração sabe que ele representa amor e bons sentimentos. Confeccionados por voluntários, os corações entregues pelo grupo são feitos com materiais como, por exemplo, crochê, colagens, origamis, recortes e costura. Quem recebe a mensagem não paga nada por isso. A única exigência é dar um sorriso no momento de pegar o coração.

Você que está lendo esse texto pode colaborar com o Doe Sentimentos. Para fazer isso é só enviar um coração para que o pessoal distribua. Também é possível implantar o projeto na sua cidade e espalhar mensagens gentis pelas ruas e avenidas. Para saber como apoiar essa ideia e tornar o mundo um lugar mais gentil é só acessar o site do projeto AQUI.

Mensagens em corações / Foto: Divulgação

Corações são distribuídos gratuitamente / Foto: Divulgação
Continue Lendo

Curso para blogueiros (parte 1 de 4)

Conteúdo e design de qualidade são duas características importantes para o usuário que deseja ter um blog profissional. Além disso, é necessário buscar atualização constante e ficar atento nas coisas que ocorrem no dia a dia. Para ajudar pessoas que querem ter um blog interessante, vou compartilhar dicas que estou aprendendo no curso de Fashion Blogging promovido pelo Centro Universitário Belas Artes em parceria com a F*Hits, plataforma de digital influencers que inclui 27 blogs com mais de 9 milhões de visitas e 30 milhões de visualizações de páginas.

O curso de Fashion Blogging começou na semana passada e está dividido em quatro módulos principais. A minha proposta é compartilhar as dicas de acordo com a realização das aulas, então hoje vou falar sobre o módulo 1. Chamada de Descobrindo a blogosfera, a primeira etapa apresentou informações sobre como surgiram os blogs, a moda na blogosfera, a necessidade de manter a página atualizada, como é o trabalho de um blogueiro profissional, importância de ter linguagem própria no momento de falar com o público, principais ferramentas usadas por blogueiros de sucesso e como elaborar um repertório de posts. Vale destacar que por mais que o curso seja centrado na produção de conteúdo para moda, as lições apresentadas durante as aulas podem ser adaptadas para qualquer tipo de post. E eu procurei deixar esse texto neutro para você usar as dicas de acordo com a realidade do seu blog.

Fonte: Pinterest


Para não deixar essa publicação muito longa e cansativa, filtrei os momentos mais importantes das aulas do primeiro módulo e coloquei abaixo em formato de tópicos. Vale destacar que selecionei as dicas conforme a minha percepção. O curso é muito mais do que vou resumir aqui, mas infelizmente não é possível abordar todas as informações das aulas. Espero que você goste e acompanhe os próximos três posts sobre esse assunto. Deixe a sua opinião nos comentários porque vou adorar saber se as informações serão úteis. Acompanhe as dicas:

- A palavra blog (blogue, em português) vem da junção de web (World Wide Web) com log (registro). No início esse site ficou conhecido como "weblog", graças a Jon Barner, que inventou a palavra para registrar a sua jornada on-line. Mas foi o diminutivo carinhoso "blog" que ganhou o mundo.

- O primeiro aspecto que nos chama a atenção em um blog é sua linguagem informal, pois é em primeira pessoa. Diferentemente da linguagem do jornalismo tradicional, cuja principal particularidade é a neutralidade na exposição dos fatos. 

- Com o tempo, os blogs se tornaram veículos segmentados de comunicação e passaram a ser criados já com perfil e público definidos: alguns com conteúdo centrados em gastronomia, moda, humor, música etc.

- O blogueiro precisa definir uma área de atuação de seu interesse, uma área sobre a qual tenha conhecimento prévio, além de vontade de seguir pesquisando e estudando sobre o segmento de mercado que escolheu.

- Quando você criar o seu blog, deve refletir também sobre a possibilidade de crescimento do nicho pelo qual você optou.

- Os posts devem ser curtos e rápidos de serem lidos (400 a 600 caracteres), como é a dinâmica da vida on-line. No entanto, não esqueça: começo, meio e fim. Esse é o mantra do seu post. Toda ideia deve ser apresentada, desenvolvida e concluída. 

- Há várias formas de escrever algo, e cada pessoa também tem formas preferidas de comunicação e de expressão. Você precisa descobrir qual é a sua.

- O desenvolvimento de seu estilo próprio vai se fortalecer no processo de interação com seus leitores e com outros blogueiros. Por isso recomendamos que você participe de comunidades on-line.

- Não se esqueça de criar uma conta para o seu blog em redes sociais como Twitter, Instagram, Facebook, Pinterest e Flickr.

- A prática fortalece a escrita, e só há uma forma de ampliar vocabulário e seu repertório: pesquisando, lendo, pesquisando mais, lendo mais, e assim por diante.

- Na sociedade digital, interação é a palavra-chave para existir, ser visto e, sobretudo, ser lembrado e visitado com frequência.

- O conteúdo pode ser publicado de muitas formas: em listas, fotos, podcasts, textos, vídeos. Encontre a melhor maneira para explorar cada post. 

- Escolhido o formato ideal para construir sua presença on-line, o próximo passo é criar um calendário de posts que você considere relevantes. Antes mesmo de o blog existir, você deve organizar sua sequência de trabalho e pensar que tempo que irá dispor para escrevê-lo. Essa etapa é fundamental para organizar o ritmo de postagens constante.

- Seja útil para as pessoas. Toda vez que for produzir conteúdo para o seu blog, responda as seguintes perguntas: "O que vou compartilhar vai fazer a diferença na vida de alguém?", "Como posso abordar o tema?", "Já tem gente falando sobre esse assunto?", "Como posso ser diferente?".

- Observe o mundo à sua volta. O que está acontecendo de interessante no seu bairro, na sua cidade ou mundo que lhe dá vontade comentar, algo que se conecte com seu jeito de ser? O que você adoraria traduzir em imagens, textos e vídeos para as suas redes sociais?

Bom, pessoal, essas foram as dicas de hoje. As informações apresentadas aqui não são nenhuma "descoberta da roda", mas dão um puxão de orelha para que possamos evitar erros e produzir conteúdo de qualidade. 

TEMAS DA PRÓXIMA SEMANA: definindo o foco do blog, como fazer a diferença, a revolução da fotografia digital, ética na internet, e o blogueiro e as tendências. Continuem acompanhando o Blog da Hida.
Continue Lendo

Viajando com a moda

Uma das coisas mais legais em uma viagem é conhecer a cultura de um povo. Quando fui para Buenos Aires, adorava olhar para os moradores andando pelas ruas só para ver como eles se vestiam e quais acessórios priorizavam. Moda não é simplesmente escolher o look que é tendência. Moda vai mais além. Moda é uma mistura de cultura, arte, estilo de vida, bagagens sociais, gostos pessoais, entre outras coisas. E no texto de hoje te convido a viajar pela cultura das roupas por intermédio do trabalho do fotógrafo Scott Schuman.

Nascido em Indiana, nos Estados Unidos, Schuman, de 47 anos, criou o The Sartorialist, primeiro blog sobre moda de rua ou street fashion. O trabalho surgiu em setembro de 2005 quando ele começou a transportar uma câmera para fotografar pessoas que via na rua e achava o estilo impressionante. Ao publicar a foto no blog, Schuman costuma fazer um comentário sobre um acessório usado pela pessoa fotografada ou o nome do local onde a pessoa foi vista. Na página do fotógrafo é possível ver moradores de diversas cidades dos Estados Unidos e da Europa. Schuman é conhecido por fotografar pessoas reais, transformando as ruas em passarelas.

Selecionei alguns dos trabalhos do fotógrafo, mas para conhecer outros look é só acessar o blog dele AQUI

Esse é o Scott Schuman








Continue Lendo

Meias do bem

Você sabia que as suas meias usadas, rasgadas, manchadas ou sem pares podem virar cobertores e aquecer os dias frios de pessoas carentes?

É com esse objetivo que o projeto Meias do Bem, iniciativa sem fins lucrativos da marca Puket, começou uma campanha para unir solidariedade e sustentabilidade em duas atitudes simples: a doação e a reciclagem de meias.

As meias doadas pelos clientes passam por um processo de limpeza e depois servem de matéria-prima para confeccionar cobertores. A cada 40 pares doados, surge uma nova manta. Além disso, os beneficiados com os cobertores também recebem pares de meias para manter os pés aquecidos.

A campanha existe desde 2013 e já arrecadou 18,8 mil pares de meias. O projeto já doou 5,1 mil cobertores e colaborou com 55 instituições que atendem adultos e crianças carentes.

Quer ajudar? Então clique AQUI, conheça o ponto de doação mais próximo e deposite as suas meias.



Fotos: Divulgação

Continue Lendo

A febre dos livros interativos

Interagir é o ato que envolve a participação de dois ou mais seres em determinada atividade. E essa é a proposta dos livros interativos, obras que pedem a colaboração dos leitores para continuar uma história. De acordo com a psicóloga Rita Abreu, "os livros interativos viraram febre porque as pessoas deixaram de ser meras espectadoras e passaram a fazer parte do processo de construção de ideias". Com isso, os autores começaram a lançar trabalhos literários que tornam o leitor um usuário que cria as próprias histórias.

Confira alguns exemplos de livros interativos que o Blog da Hida selecionou. E você, gosta desse tipo de livro? Tem algum preferido? Deixe a sua opinião nos comentários.

Uma página de cada vez

Fonte: Pinterest
"Pense em alguma coisa que deixa você inseguro e escreva o que é em letras enormes. Use o espaço todo! Olhe bem para o que você escreveu. Agora vire a página." No seu primeiro livro, o artista gráfico americano Adam Kurtz usa provocações divertidas como esta para fazer o leitor refletir sobre sua vida ao mesmo tempo em que testa a própria criatividade. Como o título diz, cada página traz uma brincadeira diferente. Pode ser uma pergunta, uma sugestão de desenho ou um pedido para que você crie uma lista de música para seu amor verdadeiro ou das melhores fatias de pizza que comeu na vida. O autor também pede para o leitor colar objetos inusitados nas páginas do livro.
Livro: 1 página de cada vez
Autor: Adam Kurtz
Preço: R$ 19,90
Editora: Paralela
Onde comprar: AQUI

Destrua este diário

Fonte: Pinterest
Um diário costuma servir para anotar ideias, memória ou registros do cotidiano. Keri Smith, ilustradora e artista canadense, inventou um tipo diferente de diário, que exige do usuário uma interação mais lúdica e inusitada. Com a proposta de estimular a criatividade e questionar convenções sobre a forma como lidamos com os objetos, Destrua este diário nos convida a rasgar páginas, rabiscar, manchar e até mesmo levar o livro para o banho.
Livro: Destrua este diário
Autora: Keri Smith
Preço: varia entre R$ 13 e R$ 25
Editora: Intrínseca
Onde comprar: AQUI
O livro do bem

Fonte: Pinterest
Este é um livro diferente porque é sobre alguém muito especial: você. É um espaço para você fazer coisas que vão colocar um sorriso no seu resto e deixar sua vida mais alegre e feliz. São pequenas e grandes atitudes que vão lembrar você que tudo sempre pode ser melhor e mais divertido se a gente der uma chance, e que cada segundo da vida vale a pena até quando a gente tende a não acreditar muito.
Livro: O livro do bem
Autoras: Ariane Freitas e Jessica Grecco
Preço: varia entre R$ 16 e R$ 25
Editora: Gutenberg
Onde comprar: AQUI
Continue Lendo

Palavra por palavra [Sextante]


Esse post vai misturar vida pessoal, blog e dica literária. Isso porque faz tempo que tenho interesse em contar aqui como gosto de escrever. A escrita é uma prática que permite mostrar a vida por extenso, registrar histórias, carimbar momentos. E escrever também é uma cilada. Sim, uma cilada porque exige regras, conhecimento da língua, maturidade, repertório, suor, inspiração, vontade, desejo.

Desde que comecei a escrever aqui no blog, conheci pessoas legais, aprendi coisas que antes desconhecia e fiz contato com muita gente de talento. E tudo isso me motiva a escrever. Atualizar essa página tem sido um aprendizado, um exercício de conhecimento contínuo. E não há números de likes e seguidores que paguem o feedback sincero que recebo pelos comentários e até mesmo de pessoas que não comentam nos formulários daqui, mas falam que viram o blog e gostaram do que faço.

Eu gosto de escrever. Desde criança sou fascinada pelas palavras. Diariamente, por intermédio do meu trabalho de repórter no Metro Jornal, uso a escrita para contar fatos da vida real. E é emocionante receber o retorno dos leitores do jornal. Aqui no blog procuro usar o Jornalismo, profissão na qual sou formada, para falar de comportamento de maneira informativa e divertida. É só reparar que você vai perceber que todos os textos daqui possuem um dado, uma informação, um entrevistado. Faço isso porque acredito que o mundo fica melhor quando existe troca de ideias e me preocupo em levar verdade e conhecimento em tudo o que compartilho.

Escrever nada mais é que usar a sinceridade para divulgar ideias. No livro Palavra por palavra, da Editora Sextante, a escritora Anne Lamott deixa isso bem claro. "A primeira coisa que digo a meus novos alunos no primeiro dia de curso é que escrever bem é contar a verdade", recomenda Anne no primeiro capítulo do livro.

E para os amedrontados que nunca sabem como começar uma boa história, a autora diz "Comece pela infância. Tape o nariz e mergulhe, escreva todas as suas lembranças com a maior sinceridade possível".

O objetivo do livro de Anne é que as pessoas não tenham receio de pegar papel e caneta para contar uma história. Nele a autora dá dicas que incentivam qualquer pessoa a seguir em frente na escrita sem desistir no meio do percurso. A obra reúne conselhos para acabar com o bloqueio criativo, superar a falta de confiança, lidar com a inveja de outras pessoas e também discute elementos básicos da escrita. E o melhor de tudo isso é que a leitura é bem didática. Anne é professora de grupos de redação criativa em São Francisco, nos Estados Unidos, e por isso o livro vai te fazer sentir dentro de uma sala de aula.
Obra: Palavra por palavra
Autora: Anne Lamott
Tamanho: 224 páginas
Editora: Sextante
Preço: R$ 19,90
Onde comprar: No site da Sextante.
Diferencial: É um manual sobre como escrever bem.
Continue Lendo
© Blog da Hida | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.