Início Sobre contato anuncie recomendo

Meu primeiro pet


Era dezembro de 2016 quando o Nick, um poodle toy de três anos, chegou em casa. Resgatado de situação de maus-tratos, ele estava magro, sem ânimo, sujinho e sem brilho. Procurei um pet shop para ele tomar banho e logo em seguida percebi que, além de muito amor, carinho e atenção, a minha relação com ele precisaria de números, leia-se dinheiro. Incomodado com o primeiro banho - até porque ele ficou muito tempo vivendo sujinho -, ele coçou o olho em algum canto e lesionou a córnea. O colírio custou R$ 99. Você deve estar se perguntando por qual motivo estou falando tudo isso, certo? Explico: ter um pet não é brincadeira. Você tem todo o direito de achar os bichinhos fofinhos - eles são mesmo -, mas se decidir cuidar de um animal saiba que vai precisar investir dinheiro em todos os cuidados que o bichinho necessita. Os gastos vão envolver vacinas, remédios, banho, acessórios básicos como coleira e comedouro, ração, cama e outras coisinhas. Ou seja, ter um pet é coisa séria. E, claro, esteja preparado para lidar com os imprevistos porque o animalzinho pode ficar doente e com isso você terá que acionar veterinário e bancar os cuidados.
A médica veterinária da Cobasi, Carla Storino Bernardes, esclarece que "cães e gatos possuem calendário vacinal especial e diferenciado em relação as patologias. Cabe ao médico veterinário definir como ele irá realizar de acordo com a idade do animal. As vacinas mais comuns para cães são: Raiva (obrigatória), V8 ou V10, vacina contra giárdia e vacina contra tosse. As vacinas mais comuns para gatos são: Raiva (obrigatória) e Tríplice ou Quádrupla felina".
Além da córnea lesionada, o Nick me deu outro susto na fase de adaptação aqui em casa: ele não comia ração e ficava horas e horas fazendo greve de fome. Tive que trocar de ração quatro vezes até ele se adaptar e gostar da que come atualmente. Nesse processo levei o Nick ao veterinário e descobri que ele tem sensibilidade no fígado e passa mal quando come alimentos que tenham corantes. 
"Pode haver diversos motivos pelo qual um cão pode deixar de se alimentar que vai desde a uma alteração no paladar ou até mesmo uma patologia. O ideal neste caso é que procure um Médico Veterinário para que este consiga indicar o alimento correto para cada animal", aconselha a veterinária Carla.
Gente, posso com esse narizinho perfeitinho? 
Atualmente o Nick é um cachorrinho saudável e muito querido pela minha família e pela vizinhança. Quando saímos para passear pelas ruas ele é constantemente paparicado pelas pessoas, que o chamam de "ursinho", "lindinho" e todos os adjetivos no diminutivo que você pode imaginar. Em casa a minha mãe chama ele de "pacotinho" e a irmã, carinhosamente e malandramente, apelidou ele de "cocozinho". HAHAHAHAHAHA
Quando questionada sobre os melhores horários e frequência para passear com o pet, a veterinária Carla explica: "o ideal é que seja em horários mais frescos, sem sol excessivo. Devemos sempre lembrar que as patas dos cães estão em contato direto com o asfalto e sendo assim, podem ocorrer queimaduras severas nos coxins dos cães. Esta é uma preocupação séria que devemos ter quanto ao passeio dos animais. A frequência quem irá definir é o proprietário de acordo com sua rotina e necessidade do animal"
Abaixo cito alguns acessórios básicos para aquelas pessoas que desejam ter o primeiro pet. Esses acessórios, obviamente, variam de animal para animal porque cães e gatos precisam de itens diferentes. Contudo, como tenho um poodle, acabei "puxando a sardinha" para o lado dos cachorrinhos no momento de compor a lista de acessórios. 


  1. Cama Fábrica Pet
  2. Comedouro plástico duplo TudoPet
  3. Peitoral forrado
  4. Bebedouro portátil
  5. Cookie
  6. Ração
  7. Kit higiene para coletar fezes

8 comentários:

  1. Eu já te disse que adoro a forma como tu escreve né? <3
    Muitas pessoas acham que ter um bichinho é só colocar pra dentro de casa e ponto final, não se importam muito com as condições onde eles dormem, a qualidade da ração, deixam - os de qualquer jeito sem o mínimo de cuidado. Pra ter um bichinho em casa, é que nem tu disse, vai além de sentimento e vai além de dinheiro, tem que ser os dois junto.
    Beijos
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e por participar do blog :)

      Excluir
  2. Ahhhhhhhh, fofura demais, Hida!!! <3 Muito lindo seu doguíneo fofíneo! Daqui a pouco vai ter que criar um instagram pro Nick, hein! :D
    Nunca tive cachorros, só gatos mesmo, mas eu super teria um poodle ou algum dog fofinho assim <3
    Bjks,
    Reb

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gente, como o Nick é uma gracinha! ♥ Não tem como não falar tudo no diminutivo carinhoso com esse pequeno! :D
    Quanto a ter um pet, é como ter uma criança! hehehe (Não só no que diz respeito aos gastos, mas à educação também!)

    Que vocês vivam muitos anos felizes juntos ♥
    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
  4. Olá, Hida!
    Amei o post e parabéns pela sua dedicação com o Nick. Em 2016 também adotamos a Belinha (uma misturinha) e tudo que você citou deve ser levado em consideração quando alguém resolver adotar e amar um animalzinho.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofura, Di! Eu amo cachorro. A Belinha deve ser linda :)
      Obrigada pela participação aqui no blog :)

      Excluir

Hey! Obrigada pela visita :) O seu comentário é muito importante para mim!

© Blog da Hida | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.