Início Sobre contato anuncie recomendo

Meu planner 2017


De acordo com a definição dada pelo dicionário Priberam, planejar é definir antecipadamente um conjunto de ações ou intenções. Ou seja, projetar os caminhos a serem percorridos durante dias, semanas e meses. Segundo o especialista em Comportamento e Desenvolvimento Humano Scher Soares, um projeto pessoal tem mais chances de virar meta cumprida quando é colocado no papel. Por isso é importante traçar objetivos e criar o hábito de planejar os dias. Legal, né?

Existem vários métodos de planejamento e no post de hoje quero apresentar o planner (ou planejador) do Ateliê Donna Rita. Uma das coisas mais legais do ano ano novo é a possibilidade de escolher modelos de agenda e planner para usar nos próximos 12 meses e em 2016 eu comecei a saga de garimpar esses itens para definir os que mais se encaixavam na minha rotina. Optei usar uma agenda comum para as tarefas do trabalho e escolhi o planner do Ateliê Donna Rita para traçar projetos pessoais e do blog

O Ateliê Donna Rita permite que o cliente escolha uma frase para usar na capa do planner / Foto: Hidaiana Rosa

Com estampa de cactos (gente, eu amo cactos), o planner é todo feito à mão e foi impresso e encadernado pela Rita do Ateliê Donna Rita. O design do planner é da Nilmara Quintela. Quem tem a letra grande como eu e gosta de espaço, vai adorar adquirir o planner do Ateliê Donna Rita porque ele tem tamanho aproximado 15 X 21 cm e 254 páginas para registrar as ideias.

A capa é dura e existe a opção de revestir com tecido ou papel laminado com acabamento fosco. A Rita tem várias opções de estampas e confesso que é muito difícil escolher apenas uma. 



No quesito organização o planner é perfeito porque possui espaço para dados pessoais, calendários 2017 e 2018, lista de metas para o ano, aniversários e datas importantes, contatos, lista de filmes e livros, espaço para registrar senhas e protocolos, informações bancárias, campo de anotações, lista de desejos, folha de anotações e controle financeiro mensal. Todas as páginas são caprichadas e com papel de qualidade, garantindo mais conforto para a escrita.

Além disso, os meses são separados por divisórias com lindas estampas e frases inspiradoras. O fechamento do planner do Ateliê Donna Rita é feito com elástico. O elástico não fica preso na capa, então é possível usar ou não. 




O valor do planner varia de R$ 75 a R$ 120, sendo economicamente mais viável do que alguns modelos vistos por aí. O preço segue a montagem definida pelo cliente porque é possível, por exemplo, fazer o planner sem divisórias de meses e com papel de menor gramatura, o que deixa o valor menor. Vai do gosto de cada pessoa. 

Ficou interessado no planner do Ateliê Donna Rita? Então clique aqui e visite a loja para conhecer mais detalhes do produto. Quando o meu estiver bastante usado e decorado, farei um post apenas com fotos para deixar o meu uso registrado. Me acompanhe no Instagram porque sempre vou postar muitas fotos do planner por lá. No insta eu sou @hidaianarosa



Continue Lendo

Campanha incentiva reciclagem de material escolar

Com o início do ano letivo, estudantes substituem parte do material escolar por novos e, com isso, geralmente os itens usados vão para o lixo. Para incentivar uma cultura sustentável e descarte correto dos resíduos de instrumentos de escrita, a Faber-Castell, em parceria com a TerraCycle, promove a campanha “Faxina nos Armários”.

O objetivo da ação é mobilizar o maior número de pessoas como crianças, pais, amigos e professore a recolher o máximo possível de utensílios de escrita como lápis, lapiseiras, canetas, canetinhas, borrachas, apontadores, marca textos, marcadores permanentes e marcadores para quadro branco, quebrados ou em desuso, independentemente da marca.

Os materiais coletados passam pelo processo de reciclagem, que inclui uma série de procedimentos, como a separação, a lavagem e a extrusão. Os resíduos são transformados em uma nova matéria-prima, chamada Pellet. Esta matéria-prima é vendida e utilizada para a produção de outros objetos como bancos e lixeiras. Legal, né?

A cada 12 gramas doados, escolas e entidades vão receber R$ 0,02 / Foto: Hidaiana Rosa

A campanha, que já está no quinto ano consecutivo, é realizada de fevereiro a maio. Ao final da ação, os dez participantes que enviarem o maior número de itens à TerraCycle serão premiados. Somente no ano passado, o programa mobilizou a coleta de mais de 230 mil instrumentos de escrita, o que ressalta o engajamento dos consumidores pelas causas sociais como o consumo consciente.

Para participar da campanha é fácil: basta se inscrever no Programa Nacional de Reciclagem de Instrumentos de Escrita Faber-Castell pelo site da TerraCycle. Alunos, pais, professores e demais interessados devem reunir os materiais de escrita e levá-los para suas escolas no início do ano escolar. 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução
Continue Lendo

Internet: muito mais que entretenimento

Antenados com o universo dos negócios e comunicação de marcas, blogueiros e “instablogueiros” – variação que surgiu para nomear pessoas que profissionalizam o Instagram – estão transformando as mídias sociais em profissão e engordando a conta bancária. Segundo a publicitária e professora de Mídias Digitais da Faculdade DeVry Metrocamp de Campinas, Eliane El Badouy, o fenômeno está atrelado ao engajamento e capacidade de criar vínculos.

A primeira coisa que precisa ter em mente é que as redes sociais sempre existiram. Independentemente da internet, grupos que compartilham os mesmos interesses sempre estiveram unidos. Com a internet isso foi se intensificando e as marcas perceberam uma oportunidade de exposição ao usar a mídia social de um influenciador digital. Porque quando você vê uma pessoa comum indicando determinado produto, isso tem mais valor para o consumidor. A força da mídia social está em pessoas comuns produzindo conteúdo para outras pessoas comuns, esclarece a especialista.

Analisando oportunidade de negócios na internet, a jornalista Tábata Boccatto, que mantém o blog Last Look (http://www.lastlook.com.br/), fundou o It Bloggers, coletivo de blogs do interior do Estado de São Paulo que reúne influenciadores digitais de cidades como Campinas, Piracicaba, Americana, Rio Claro e Ribeirão Preto.

Tábata Boccatto, fundadora do It Bloggers, coletivo de blogueiros do interior de São Paulo / Foto: Divulgação

No It Bloggers nós temos um departamento comercial que sempre analisa oportunidades para os blogueiros. Percebemos a importância de ter esse canal porque muitas marcas estavam vindo para o interior de São Paulo e buscando pessoas influenciadoras em determinados segmentos, conta Tábata.

Além de design diferenciado, fotos de qualidade e conteúdo dinâmico, ganhar espaço na internet requer constância e profissionalismo. Tem que ser relevante. Hoje em dia somos bombardeados de informações que vêm de todos os lados. Então, ao criar um blog, você precisa ser relevante. Ninguém quer mais do mesmo, alerta Eliane.

Além disso, é necessário ter planejamento e estratégias comerciais. Tem que fazer uma agenda de postagens para deixar a plataforma sempre atualizada e conhecer o seu público. Também é muito importante ter conhecimento de audiência e mostrar resultados para as marcas, indica a Tábata do It Bloggers.
Continue Lendo

Medo de perder amigos faz brasileiro ficar conectado

Estudo realizado pela Kaspersky Lab – empresa do ramo de segurança de computadores – constatou que 73% dos brasileiros querem abandonar as redes sociais, porém permanecem conectados porque têm medo de perder contatos com amigos e recordações das postagens que publicam nas plataformas. O desenvolvimento da pesquisa ocorreu de maneira on-line com 4.831 pessoas de países diferentes, sendo 887 do Brasil.

No total, 68% dos brasileiros que responderam aos questionamentos da pesquisa disseram que sair das redes sociais pode gerar perda de contatos com amigos. Outros 21% contaram que não abandonam as plataformas virtuais porque têm receio de perder fotos e lembranças importantes. Além disso, 37% confessaram que estão perdendo muito tempo nas redes sociais e prejudicando as atividades de rotina.

A advogada Luciana Gonçalves, 38 anos, faz parte do grupo que usa as redes sociais com frequência. Além de ter perfil no Twitter, Luciana interage com os amigos pelo Facebook. Segundo ela, o uso das mídias sociais é intenso e prejudica as tarefas do cotidiano. Eu geralmente tenho a parte da tarde do meu dia para fazer as coisas de casa, mas depois do almoço acesso o Facebook e, quando vejo, deu 17h e não fiz nada. Para passar no exame da OAB eu precisei desativar todos os meus perfis e sair dos grupos do WhatsApp. Foi uma medida que precisei tomar para ter concentração nos estudos da prova, relata a advogada.

Apesar de confessar que gasta muito tempo nas redes sociais, Luciana conta que tem receio de ficar off-line. Eu tenho parentes que moram longe e sempre preciso fazer uma ‘visita virtual’ para eles, digamos assim. O problema é que essa olhadinha se estende e passo mais tempo do que deveria, conta a advogada.

O administrador de empresa Gustavo Varela Cesna, 26 anos, também usa as redes sociais com frequência e precisou adotar medidas diferenciadas para desenvolver equilíbrio no momento de interagir nas plataformas.

Gustavo Cesna separou as redes sociais para deixar a rotina mais organizada/ Foto: Luciano Claudino/Código 19

Eu gerencio uma agência de turismo e uso bastante as redes sociais para mostrar pacotes para os clientes, mas em alguns momentos já me peguei dividindo tempo com as coisas pessoais. Depois disso, resolvi dividir as contas e criei um perfil pessoal e outro profissional. Acaba ajudando porque de fato consigo concentrar as coisas do trabalho no perfil profissional e não perco tempo, conta Cesna.

Para Scher Soares, especialista em comportamento e Desenvolvimento Humano, para não correr o risco de cair na procrastinação, é importante definir prioridades.

As pessoas têm mania de elaborar boas desculpas e no uso da internet isso é muito comum. Para não perder tempo e prejudicar a rotina, é preciso definir um tempo para uso das redes sociais, criar lista com as tarefas do dia e realizar sempre o que for mais importante. Tem que ter foco, recomenda Soares.
Continue Lendo

A arte de desenhar letras


Inspirada em textos e frases de música, a advogada Beatriz Marques Moreira, 28 anos, usa papel e caneta para criar lettering - arte de desenhar letras combinando formas projetadas e específicas.

Bia, como prefere ser chamada, conta que desde criança gosta de desenvolver técnicas manuais. "Sempre tive essa tendência a ir para o lado artístico e de técnicas manuais, mas como a vida acabou me levando para o Direito, essa parte minha [desenho] acabou ficando guardada. Há sete meses criei o meu blog com a ideia de escrever textos de tudo que se passa pela minha cabeça. Uma coisa foi ligando na outra até que, um pouco depois da criação do blog, acabei tendo a ideia de criar as minhas próprias ilustrações para os meus posts. Foi dando tão certo que hoje em dia desenho bem mais do que escrevo", diz a advogada.

Além do blog, Bia compartilha as artes gráficas no Instagram @sobretudoquepassa. Segundo ela, quem deseja seguir neste ramo precisa se dedicar e buscar os materiais que mais se identifica. "Quando comecei a treinar, ouvi dizer que não tem material certo para começar e hoje percebo que é verdade. Comecei com o que tinha em casa e aos poucos fui comprando coisas novas. Hoje em dia uso e gosto muito das canetas Posca, da Uniball. Cada um tem que ver com qual material se adapta mais e 'começar começando'. É claro que tem muitas técnicas para aprender, mas depois que você dá o primeiro passo, tudo começa a fluir melhor", recomenda Bia.

Para contratar o trabalho da artista, basta escrever para o e-mail sobretudoquepassa@gmail.com. "Quem gostar dos desenhos pode encomendar tanto um lettering personalizado ou também um lettering em lousa para eventos como chá de bebê, casamentos, restaurantes e feiras. É só entrar em contato comigo por e-mail ou pelas redes sociais", afirma.








Continue Lendo

Ideia fixa


Muito utilizados em escolas durante as aulas de Educação Artística, os recortes de papel ganham conceito e viram obras de design nas mãos da produtora de projetos culturais Marcela Pacola. Unindo referências da arte e da moda, Marcela cria colagens usando figuras que garimpa em jornais e revistas. Além de produzir murais com as imagens, a artista utiliza os materiais para personalizar objetos e confeccionar avisos de eventos do The Mix, bazar que gerencia no bairro Cambuí, em Campinas.

Desde pequena eu adoro colagens e fotografia. Eu costumava recortar imagens de jornais e revistas, mas acabava não usando para nada e os recortes ficavam guardados. A maioria era de revistas de moda. Em 2014 fiz um workshop sobre colagem com o Roger Bassetto [artista visual] e daí em diante resolvi seguir com minhas experimentações nessa linguagem artística, conta Marcela ao relembrar o início do trabalho com colagens.

Marcela Pacola cria colagens com recortes de jornal e revista / Foto: Luciano Claudino/Código 19

A inspiração para produzir os murais de colagens, conta a artista, vem de linguagens como fotografia, desenho, cinema e a própria colagem em si. Tudo que chama atenção e capta o meu olhar, o meu interesse, torna-se uma fonte de inspiração. Algumas técnicas ajudam no processo de construção da colagem como, por exemplo, utilizar um número definido de elementos ou uma cor específica. Minhas colagens têm como característica algo surreal, que denota estranheza, transgressão da verdade sensível, da razão ou pertence ao domínio da imaginação, do absurdo, esclarece.

Para produzir as colagens, Marcela segue um processo totalmente manual com o uso de acessórios como cola e tesoura. No momento de escolher as imagens que vão compor as artes, a produtora cultural prioriza recortes de revistas de vários tipos e épocas, de livros de arte ou qualquer outro material. Vou juntando os pedaços e uso cola branca para fixar. Depois, fotografo as colagens para ter um arquivo digital dos trabalhos, explica.

Para acompanhar as colagens da Marcela, é necessário seguir a artista no Pinterest (https://br.pinterest.com/mbrandipacola/). Também é possível ver a técnica das colagens aplicada na confecção de avisos por intermédio do Instagram @themixbazar.




Continue Lendo
© Blog da Hida | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.