Início Sobre contato anuncie recomendo

Ilustrando sentimentos

"As ilustrações nasceram exclusivamente como forma de expressão, nasceram como forma de falar com o coração sobre coisas que são próprias do ser humano. Elas falam dos nossos desejos, nossas emoções, nossas inquietações". É com essa afirmação que a psicóloga, acupunturista e ilustradora Alexsandra Cassol de Vasconcelos, 38, esclarece qual é a importância do desenho.


Utilizando materiais diversificados como flores, colagens e lápis, Alexsandra mantém a página Ale Vasconcelos Ilustra no Facebook e atualiza o perfil com ilustrações que representam emoção, comportamento, sentimentos de pessoas, meninas e mulheres. "Desde a adolescência me descobri desenhando. Fazia caricaturas e quadrinhos nos papéis e nas paredes do quarto. No entanto, essa habilidade ficou adormecida por bastante tempo. No ano passado, comprei uma aquarela de uma ilustradora porto alegrense e coloquei na parede da minha sala. Essa ilustração despertou a antiga paixão. Vou começar a desenhar!", relembra a ilustradora.

O processo de criação e inspiração da Ale está ligado com imagens e observações do cotidiano. "Em casa sempre procuro ter fontes de inspiração. Por exemplo, ter em volta flores, cheiros de incenso, quem sabe um livro com ilustrações, plantas colhidas em uma caminhada, enfim, todo conjunto de material que me identifica", explica a artista, que ainda revela estar sempre acompanhada do material de produção. "Meu kit básico de trabalho é um sketchbook, lápis, canetas nanquim e uma aquarela 12 cores. Material bastante simples e que se pode levar para todos os lugares", afirma Alexsandra.

Utilizando referências da própria filha, Ale criou a personagem Mandica. "Fiz um dia o desenho de uma menina, com linhas simples e poucos detalhes. Pensei que poderia colocar um nome nessa menina e que ela pudesse expressar algo. Como tenho uma filha, com 4 anos agora, e que se chama Amanda, surgiu a ideia de colocar o nome de Mandica. Bom, se ela era a representação da minha filha, logo ela poderia falar das coisas que fazem parte do universo de uma menina pequena. As crianças têm um pensamento extremamente fluido, criativo e original. Então a cada etapa no desenvolvimento da Amanda, várias pérolas iam surgindo, e comecei a anotá-las. Aí surgiu o sketchbook Mandica, que expressa todo esse universo infantil de uma maneira divertida e também se transformou  numa forma de registro do crescimento e desenvolvimento da minha filha", conta a ilustradora.

A meta da artista para esse ano é comercializar as ilustrações. Para acompanhar o trabalho dela é só seguir o perfil no Facebook e no Instagram (@alevasconcelosilustra).









Continue Lendo

Encanto em forma de papel

Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida [Confúcio]

A frase acima é do filósofo Confúcio e define bem o trabalho realizado pela artesã Rita Lima dos Santos, do Ateliê Donna Rita, marca especializada em produtos de papelaria e cartonagem. "As atividades manuais sempre fizeram parte da minha vida. Desde criança sempre estive entre tecidos, tesouras, linhas, papel, lápis de cor. Enfim, desde que me lembro, sempre estive fazendo algum tipo de arte", conta Rita.

Graduada em Educação Física, a artesã conciliou o trabalho manual com outros trabalhos durante muitos anos, até que a partir de 2012 decidiu retomar os afazeres do artesanato, se especializou em outras técnicas e decidiu transformar uma "brincadeira de criança" em fonte de renda. "O Ateliê Donna Rita abriu suas portas virtuais em setembro de 2013. Em julho de 2014 consegui alcançar o tão sonhado espaço de trabalho, o meu ateliê localizado em um cômodo do meu lar doce lar. Em 2015 resolvi que era a hora de dividir um pouco do que venho aprendendo ao longo desses anos e comecei a dar aulas. São quase três anos de muitas lutas e muitas realizações", afirma a artesã, que ainda revela uma curiosidade sobre o nome da sua marca. "Sempre me perguntam por qual motivo eu escolhi o nome Donna Rita. Muita gente fica surpresa ao me encontrar, pois espera encontrar uma senhorinha e não uma maluca de cabelo rosa. Esse nome é uma homenagem à minha mãe, que infelizmente não está mais aqui para acompanhar a minha trajetória. É uma lembrança de todas as vezes que ela precisava gritar "Dona Ritaaaaaa de Cássiaaaaaa" por eu estar fazendo alguma arte não autorizada pela casa", relembra.




Atualmente, o cliente que visita a loja virtual da Donna Rita encontra produtos como álbuns fotográficos, livros do bebê, cadernos de receitas, linha de cadernos personalizados, maletas, caixas, carteiras, livro de leituras, pastas e outros artigos manuais. "Eu não sei explicar ao certo de onde vem a inspiração. Acho que vem de tudo que eu gosto e faço. Sou louca por livros, filmes, jogos, séries, música e vivo imersa nesse mundo. Acho que muito do que faço vem daí. Mas também tenho clientes e amigos que sempre me trazem suas ideias e eu estudo a melhor forma de colocá-las em prática. Mas além disso, acho que o mais importante para a inspiração e a criatividade é me manter sempre atualizada, estudando e praticando", explica Rita ao contar como é o processo de criação dos produtos manuais.

Mas se engana quem pensa que produzir um trabalho manual é simples. Segundo Rita, o artesão ainda enfrenta muitas dificuldades para se consolidar no mercado de trabalho. "Um dos grandes desafios é mudar a mentalidade de uma parcela da população que acredita que o feito à mão não tem qualidade, que é feito de qualquer jeito e por isso tem que ser baratinho. No âmbito pessoal, o maior desafio é ser uma empresa de uma pessoa só que cuida de todos os aspectos que envolvem um negócio. Além da criação, é necessário cuidar de todas as questões administrativas e gerenciais, desde o controle do estoque até a saída das peças para os Correios. Não é fácil, mas ter controle sobre todo o processo de produção garante que eu possa fazer o melhor para aqueles que confiam em meu trabalho e se tornam meus clientes", conta a artesã.

Para conhecer a loja da Donna Rita é só clicar aqui. Ela também tem esse blog e essa página no Facebook. 

Continue Lendo

Registrando a felicidade


Oi, pessoal! Tudo bem? Quem acompanha o Blog da Hida sabe que já falei sobre o projeto 3 motivos para ser feliz hoje, criado pela Zoopress. (Clique AQUI para reler o texto que publiquei no blog)

Inspirado na psicologia positiva, o projeto sugere que o usuário escreva, diariamente e por 21 dias, 3 motivos para ser feliz. A ideia é mudar a maneira como as pessoas enxergam o cotidiano. 

As novas edições dos caderninhos para registrar os momentos felizes já estão disponíveis na loja da Zoopress. Para comprar, clique AQUI

"Diariamente notícias sobre crimes, corrupção e catástrofes tornam mais difícil percebermos a presença do bem no mundo e em nossas vidas. O culto ao sucesso material e à vaidade, à competitividade, às trivialidades que drenam nosso tempo nas redes sociais, enfim tudo isso e muito mais tem o poder de nos tornar mais propensos aos pensamentos e sentimentos negativos. ​Logo as lentes da nossa percepção ​tornam-se turvas e só vemos as coisas pelo lado sombrio. Ao registrar os momentos felizes estamos exercitando a percepção das coisas por um outro lado. Ao invés de vermos o copo meio vazio, passamos a vê-lo como meio cheio", conta o designer da Zoopress, Renato Alarcão, ao explicar os benefícios de anotar as alegrias do cotidiano.

Continue Lendo

As ilustrações da Paloma Barbosa


Uma das coisas mais legais que o mundo blogueiro oferece é a oportunidade de conhecer o trabalho de pessoas talentosas. Por intermédio da Rebeca do Blog Papel Papel, fiz contato com a Yumi e a Paloma, criadoras do blog Sure, We Have a Blog. Além de ajudar a Yumi no "Sure", a Paloma faz ilustrações utilizando aquarela e o texto de hoje aqui no Blog da Hida é para apresentar o trabalho da Paloma no mundo das artes.


Paloma Barbosa dos Santos tem 22 anos e é estudante de Artes Visuais. Ela conta que desde criança gostava de colorir desenhos e fazer cartões para a família com ilustrações fofas. "Lá pelos meus 14 anos comecei a desenhar com mais frequência, mas não era nada sério. As coisas só começaram a engrenar aos 18 anos quando iniciei um curso de Comunicação Visual que incluía muitas aulas de desenho, pintura e vários outros segmentos. Foi lá onde tudo aconteceu e desenvolvi meu traço. Eu descobri meu gosto pela arte e as ilustrações, mas tive que lutar contra minha própria insegurança. Eu não acreditava que podia ser realmente boa naquilo e isso me barrou por muito tempo. Depois botei a cara no sol e resolvi que era hora de tentar de verdade. Entrei para a faculdade de Artes Visuais e não poderia estar mais feliz", relembra Paloma.


Segundo Paloma, a inspiração para fazer os desenhos surge de forma aleatória. "Algumas vezes ela vem de coisas que estou sentindo e preciso botar pra fora, ou das músicas que ouço, ou até mesmo de pessoas que estão a minha volta e me inspiram de alguma maneira com sua história ou algum acontecimento", esclarece a estudante. 

Os desenhos da Paloma são feitos com materiais como aquarela, canetas nanquim e tinta acrílica. O tempo de criação de cada peça varia de acordo com a ilustração, mas geralmente a jovem demora duas horas entre o processo de ilustrar e pintar. 

Ficou interessado em conhecer o trabalho da Paloma? Então visite a ilustradora no Faceboook e Instagram. Quer comprar alguma ilustração da Paloma? Basta visitar a loja ou enviar mensagem nas redes sociais da estudante para fazer encomendas.








Continue Lendo
© Blog da Hida | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.