Início Sobre contato anuncie recomendo

O nome da morte



Inesquecível. Essa é a palavra mais apropriada para descrever o livro "O nome da morte - A história real de Júlio Santana, o homem que já matou 492 pessoas". Escrita pelo jornalista Klester Cavalcanti, a obra conta a história de um pistoleiro profissional que nos últimos 35 anos assassinou quase 500 pessoas. Júlio Santana, o protagonista do livro, bem que poderia ser um personagem de ficção, mas ele existe de verdade e tem endereço e família.

Depois de matar, Júlio Santana reza dez ave-marias e vinte pai-nossos para pedir perdão. Tem medo de acabar no inferno. Foi assim após atingir no Araguaia, em 1972, a jovem guerrilheira Maria Lúcia Petit, na mesma época em que acertou de raspão e auxiliou na captura do futuro político José Genoino. E foi assim também depois de matar as outras quase 500 vítimas registradas num caderninho do Pato Donald. Sem ideologia, Júlio mata por ofício. Uma profissão que aprendeu em família, com seu tio Cícero, que lhe passou um trabalho aos 17 anos. 

Mas contar a história de um assassino profissional não é tarefa fácil. Foram necessários sete anos de conversas para que Júlio Santana autorizasse o escritor Klester Cavalcanti a colocar o seu verdadeiro nome no livro. "Na primeira vez em que nos falamos, em março de 1999, ele concordou em me contar sua história, mas não queria revelar sua identidade nem permitir que eu, ou qualquer pessoa, o fotografasse. Nada mais compreensível. O homem com quem eu passaria a conversar a partir daquele dia, a uma média de uma entrevista por mês, é um assassino profissional. Das 492 mortes, 487 foram devidamente registradas num caderno, com data, local do crime, quanto ele recebeu pelo serviço e, o mais importante, os nomes dos mandantes das vítimas", conta o jornalista Klester logo na abertura do livro.

O que faz de "O nome da morte" uma obra inesquecível é a profundidade com que o autor mergulha na história de Júlio. Klester não se limita apenas a reproduzir as palavras do matador e, a partir do que ouve, faz um trabalho de reconstituição de cenas, diálogos, paisagens, gestos e sensações. Cabe ao leitor fazer o julgamento e decidir se Júlio Santana é mocinho ou vilão. Mas uma coisa é certeza: Júlio é um personagem memorável.
LIVRO: O nome da morte
AUTOR: Klester Cavalcanti
EDITORA: Planeta
TAMANHO: 245 páginas

26 comentários:

  1. Deve ser um livro fascinante para que curte a área policial. Mas me trouxe uma inquietação, ele nunca foi pego?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca foi pego. O livro fala justamente dessa impunidade.
      Obrigada pela visita e participação :)

      Excluir
  2. Nossa, tô arrepiada com essa história... Enquanto muitas pessoas tem medo de fantasmas ou monstros imaginários, eu tenho medo é de pessoas como esse Júlio Santana. Parabéns pela coragem de ler o livro até o fim.
    Beijo, beijo.
    ameninaquenaoparadeler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regiane, ouso dizer que esse é o meu livro favorito. Ainda espero surgir uma obra que mexa tanto comigo. Obrigada pela visita e participação.

      Excluir
  3. Nossa que historia interessante, quero ler, é difícil encontrar livros instigantes, anotado na minha listinha.

    Beijo Hida <3

    www.cantinhob.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, você vai gostar. Tenho certeza. Obrigada pela visita ;)

      Excluir
  4. Eu gosto da forma como tu escreve, porque dá vontade de continuar lendo, que nem agora, depois da imagem achei que teria mais texto pra eu ler. Fiquei com muita vontade de ler esse livro, vou procurar para poder ler.

    Beijo
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nati, que delícia de comentário. Obrigada pelo carinho ;) Esse livro é demais! Você vai gostar. Procure por ele ;)

      Excluir
  5. Hida... achei fantástica essa história, tenho curiosidade e medo por livros assim... vai pra lista com certeza...
    Adorei!

    Bjinhos
    JuJu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juju, é um livro que você vai gostar. Mega interessante :)
      Beijos :*

      Excluir
  6. Pelo subtítulo, parece até romance policial! Custo a acreditar que o cara tenha tido a coragem de autorizar a publicação de seu nome e fotografias. Apesar de meio mórbido, deve ser um assunto fascinante, pelo ponto de vista da reconstituição dos fatos. E como estudante de Jornalismo, tenho certeza de que foi um trabalho jornalístico exaustivo. Parabéns pela resenha!

    Passei aqui pra avisar que te indiquei na TAG Perguntas Literárias. Passa lá pra dar uma olhadinha!
    http://loucura-por-leituras.blogspot.com.br/2016/02/tag-perguntas-literarias.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lethycia! Obrigada pela visita! Vou passar para conhecer o seu blog e ver a tag. Beijos :*

      Excluir
  7. Realmente, nada como o olhar crítico e investigativo de vocês jornalistas para contar uma história assim tão densa O___o
    Bom trabalho, Hida! Como sempre ;)
    Bjsssss,
    Reb

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Reb, essa é uma história que eu gostaria de ter contado ;)

      Excluir
  8. Andei olhando seu blog e adorei!! Você é super fofa e tem uns posts muito legais! Já estou seguindo.
    www.bloganalopes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, obrigada pela visita e carinho. Beijos :*

      Excluir
  9. Uau Hida, que história hein!
    Fiquei curiosa pela história de vida desse cara, sua resenha me instigou.
    <3

    Um beijo,
    Paloma
    surewehaveablog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pa, fico feliz que a resenha tenha despertado o seu interesse ;) Obrigada pela visita :)

      Excluir
  10. Amei a resenha, confesso que me deixou meu abismado, faz tempo que procuro um livro que aborde o tema dessa forma, mas nunca encontro, pretendo lê-lo, mesmo que seja por e-book.
    Amei o blog e a resenha, estou te seguindo, beijos <3

    Http://BibliotecasdeAlexandria.Blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Well! Vá atrás do livro porque creio que você gostará ;)

      Excluir
  11. Apesar de achar interessante não é o tipo de livro que me atrai.
    Gostei da sua resenha e as fotos ficaram muito boas.
    Beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
  12. Caramba, que história :o
    E 7 anos de conversa antes de poder relatar a história inteira, nossa.
    Ele me lembrou "Frederico Evandro" personagem de um dos meus filmes preferidos: Lisbela e o Prisioneiro, que matava e depois rezava, rs.
    Amei sua resenha, deve ser um livro e tanto! E ainda uma história real, caramba.

    www.vodkaescarpin.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Nanda, foi um bom tempo para convencer o Júlio, mas Klester conseguiu e o livro é sensacional <3
      Obrigada pelo carinho e atenção de sempre :)

      Excluir
  13. Tenho mesmo que ler este livro!!
    Segui o teu blog...convido-te a passares pelo meu e se gostares segue :)
    Beijinhos

    http://beautifulsecretsblog.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ana! Obrigada pela visita :) Continue acompanhando o blog da Hida :)

    ResponderExcluir

Hey! Obrigada pela visita :) O seu comentário é muito importante para mim!

© Blog da Hida | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.